Metro e Autocarros em Almada: Concorrência ou Complementaridade?
29 de Abril de 2014, Auditório da Transtejo - Cais do Sodré

A sessão realizada no dia 29 de abril de 2014 no auditório da Transtejo, no Cais do Sodré, teve por base o artigo de opinião escrito pelo Eng. António Vila Verde, membro da Direção da ADFERSIT, sobre o Metro Sul do Tejo. As principais conclusões deste artigo referem a falta de coordenação entre metro e autocarros na área urbana de Almada, o excesso de autocarros em Cacilhas, a constatação de que os percursos Cacilhas/Corroios e Cacilhas/Pragal se realizam em concorrência direta entre estes dois modos, e que um verdadeiro transbordo e complementaridade metro/autocarros não existe. Constata por fim a necessidade de uma maior intervenção da AMTL (Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa).

O Eng. Faustino Gomes, consultor na área de transportes e Presidente do Conselho de Administração da TIS, fez a primeira apresentação desta sessão. Na 1.ª parte dessa apresentação realçou alguns aspetos importantes para que uma verdadeira rede de transportes funcione, nomeadamente quanto à necessidade de implementar algumas alterações e melhorias na rede de autocarros (integração física), a nível da informação (integração lógica), a nível tarifário (integração tarifária) e também envolvendo a clarificação de responsabilidades e coordenação de planeamento entre autoridades e operadores e entre operadores, visando a qualidade do serviço (integração institucional). Na 2.ª parte ilustrou com alguns exemplos a necessidade de se melhorar alguma integração já existente entre as redes TST (autocarros) e MST (metro), incentivando-se institucionalmente o desenho das redes numa lógica de sistema global. A utilização dos mecanismos existentes para melhorar os contratos, nomeadamente introduzindo esquemas de incentivos e penalizações associados ao desempenho, fidelização e captação de novas procuras, foi também mencionada como fundamental.


Por seu lado o Eng. Germano Martins, Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa (AMTL), proferiu uma interessante e esclarecedora apresentação sobre o tipo de intervenção da AMTL, refletindo depois sobre as questões colocadas pelo artigo já referido. A AMTL tem um papel fundamental no desenvolvimento de estudos estratégicos, necessários à preparação da contratualização do serviço público de transporte, na implementação de um novo sistema tarifário integrado, na monitorização dos serviços de transporte, e na gestão e acompanhamento dos contratos de concessão. Na área de influência do metro circulam 47 carreiras rodoviárias, nalguns casos com percursos sobrepostos com o metro. Os casos onde a sobreposição de percursos entre autocarros e metro se verifica na sua quase totalidade deverão merecer reflexão futura. O tráfego atual do metro é de cerca de 1/3 do inicialmente estimado. Para a redução dos custos públicos deverão contribuir a redução da fraude, a integração tarifária e a adequação da oferta.

Por fim o Vereador Rui Jorge Martins, da Câmara Municipal de Almada referiu-se a todo o processo que levou à construção do metro sul do Tejo. Sendo crítico de algumas opções tomadas, frisou a importância de uma verdadeira articulação entre o modo rodoviário e o metro, para que a rede de transportes de Almada sirva cada vez mais eficientemente a sua população.

No período de debate foram clarificados alguns aspetos relacionados com o processo de concessão de carreiras rodoviárias, e com a necessidade de se implementarem ações tendentes à redução dos encargos com as concessões existentes. O engº Germano Matins esclareceu que a proposta das carreiras de autocarros é feita pela empresa que gere a respectiva concessão e que a apreciação e validação são efetuadas pela AMTL com base num enquadramento legislativo antiquado. Segundo esta legislação a AMTL é obrigada a aprovar as carreiras de autocarros desde que o concessionário cumpra os requisitos previstos, designadamente quanto à sustentabilidade económica. A autorização é efetuada carreira a carreira e não para uma rede.




Eng.º António Vila Verde
Membro da Direção da ADFERSIT

Apresentação da Sessão




Eng.º Faustino Gomes
Consultor na Área de Transportes / TIS


Eng.º Germano Martins
Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa

Apresentação dos Dois Oradores

Vereador Rui Jorge Martins
Câmara Municipal de Almada

Apresentação do Orador



 
Debate




Destaques

Sócios Beneméritos
Revista Fer XXI
Congresso
Associados
adira já