Terminal de Alcântara: contrato «viabiliza o desenvolvimento económico do porto e do país»;

Terminal de Alcântara: contrato «viabiliza o desenvolvimento económico do porto e do país»;

O Memorando de Entendimento da renegociação da concessão do Terminal de Contentores de Alcântara foi firmado no passado dia 15 de Julho, na Gare Marítima de Alcântara, reforçando a ligação da APL com a concessionária Yilport Liscont – as assinaturas de Lídia Sequeira (presidente da APL e de Robert Yildirim (presidente do Grupo Yildirim) confirmaram a extensão de uma concessão que, segundo a Ministra do Mar, «representa, finalmente, o traçar de um caminho de desenvolvimento e sucesso para o Porto de Lisboa».

Recuo de -2,2%: portos do Continente movimentam 37,6 milhões de toneladas até Maio

Recuo de -2,2%: portos do Continente movimentam 37,6 milhões de toneladas até Maio

De acordo com os dados compilados pela AMT, referentes aos primeiros cinco meses de 2019, os portos do Continente registaram «um recuo de ‑2,2% face ao período homólogo de 2018». Em Maio deste ano, o movimento acumulado de carga no sistema portuário situou-se nos 37,6 milhões de toneladas, ‑833,7 mil toneladas do que o movimento registado no período homólogo do ano transacto.

APL e Yilport Liscont firmam entendimento: 122 milhões para modernizar o Terminal de Alcântara

APL e Yilport Liscont firmam entendimento: 122 milhões para modernizar o Terminal de Alcântara

Tal como a Revista Cargo havia noticiado de antemão, o memorando de entendimento firmado entre a APL e a Yilport Liscont permitirá a canalização de 122 milhões de euros de investimento no Terminal de Contentores de Alcântara – ontem (dia 15), os representantes máximos das partes (Lídia Sequeira e Robert Yildirim, respectivamente) firmaram o documento que concretiza a renegociação da concessão do terminal lisboeta, na esperança de que este acordo seja o sustentáculo de uma nova era de progressão, não só na infra-estrutura, mas como no porto como um todo.

Armadores valencianos pedem célere construção do Corredor do Mediterrâneo

Armadores valencianos pedem célere construção do Corredor do Mediterrâneo

O porto de Valência pretende permanecer na liderança da movimentação de contentores em Espanha e no Mediterrâneo, depois de, em 2018, ter superado a fasquia dos 5 milhões de TEU. Para tal, a associação Asociación Ravinara Valenciana (ANV) instou o Governo espanhol a acelerar projectos como a construção do acesso norte e do Corredor do Mediterrâneo, sem esquecer a melhoria da ligação ferroviária entre Sagunto e Saragoça.

EUROSTAT: PORTO DE SINES OCUPA 20º LUGAR DO ‘RANKING’ DOS MAIORES PORTOS DA UNIÃO EUROPEIA

EUROSTAT: PORTO DE SINES OCUPA 20º LUGAR DO ‘RANKING’ DOS MAIORES PORTOS DA UNIÃO EUROPEIA

De acordo com o Eurostat, o Porto de Sines ocupa a vigésima posição no ranking dos maiores portos da União Europeia (UE) em termos de peso bruto de mercadorias movimentadas – os dados compilados pelo Eurostat dão conta que o porto alentejano movimentou 46,473 milhões de toneladas em 2017, entrando no top-20 de um ranking liderado pelos portos Roterdão (Holanda), de Antuérpia (Bélgica) e Hamburgo (Alemanha).

Greves tiram 800 mil euros aos portos de Lisboa e Setúbal

Greves tiram 800 mil euros aos portos de Lisboa e Setúbal

No quarto trimestre de 2018, rendas pagas às administrações portuárias pelas concessões registaram quebras de 18% em Lisboa e 10% em Setúbal

As receitas das administrações portuárias decorrentes das rendas das concessões nos portos de Lisboa e Setúbal registaram, no quarto trimestre de 2018, “em conjunto, uma redução de cerca de 800 mil euros face ao período homólogo anterior”, de acordo com o último Boletim Trimestral de Concessões da UTAP - Unidade Técnica de Acompanhamento de Projectos, divulgado esta semana.


França e Bélgica ficarão unidas por um corredor fluvial de 1100 quilómetros antes de 2030

França e Bélgica ficarão unidas por um corredor fluvial de 1100 quilómetros antes de 2030

A Comissão Europeia aprovou em 26 de Junho a decisão de executar o projecto transfronteiriço Sena-Escalda nos corredores da rede principal do Mar do Norte-Mediterrâneo e Atlântico. A resolução adoptada por Bruxelas define o calendário para a construção, até 2030, desta rede fluvial 1.100 quilómetros de vias navegáveis em França e Bélgica, que permitirá a passagem de navios de mercadorias de 4400 toneladas.