Nota da Direção - Ano Europeu da Ferrovia

Nota da Direção - Ano Europeu da Ferrovia

A sugestão consubstanciada no Artigo de Opinião do Eng.º Martins de Brito vai no sentido de se celebrar o Ano Europeu da Ferrovia com uma iniciativa focada na visibilidade e na sensibilidade para o grande público do real valor do sector ferroviário, como um todo para a economia e a sociedade portuguesa, contribuindo para a criação de um sobressalto de consciência das mais valias de longo prazo e, por via disso, para o reforço da corrente de prescritores desta modalidade de transporte, na linha do preconizado no acordo informal do Conselho e Parlamento Europeus.

Mota-Engil firma «maior contrato de sempre» para infra-estrutura ferroviária na Nigéria

Mota-Engil firma «maior contrato de sempre» para infra-estrutura ferroviária na Nigéria

A construtora Mota-Engil deu a conhecer, através de informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que «a sua subsidiária para a região de África assinou um contrato conducente à execução do projecto, à construção e ao financiamento de uma infra-estrutura ferroviária na República Federal da Nigéria e na República do Níger». Os trabalhos demorarão cerca de 32 meses.

ANO EUROPEU DA FERROVIA

ANO EUROPEU DA FERROVIA

O Conselho e o Parlamento Europeus deliberaram no final de 2020, e por acordo informal, designar este novo ano de 2021 como o Ano Europeu da Ferrovia com o objectivo de introduzir um novo e consequente impulso de consciência da pertinência e valor desta indústria e modo de transporte, junto da sociedade em geral e dos utilizadores e contribuintes em particular.

NOVAS LINHAS FERROVIÁRIAS. QUE BITOLA?

NOVAS LINHAS FERROVIÁRIAS. QUE BITOLA?

Como administrador da CP responsável pelos primeiros estudos de novas linhas de alta velocidade e bitola europeia, realizados há três décadas, (Lisboa – Porto, Lisboa – Badajoz e Porto – Valladolid), como membro do primeiro conselho de administração da RAVE e como fundador e, várias vezes presidente da Direção, da ADFER, sinto ser meu dever pronunciar-me sobre os novos eixos ferroviários que o País parece, finalmente, querer construir.

Ferrovia é a grande prioridade da presidência portuguesa da União Europeia na área dos transportes

Ferrovia é a grande prioridade da presidência portuguesa da União Europeia na área dos transportes

Na aviação, o projeto do Céu Único Europeu estará no topo da agenda”. A Eurovinheta, no transporte rodoviário, e a Estratégia da Comissão para uma Mobilidade Inteligente e Sustentável são outros dos temas em destaque para a presidência portuguesa da União Europeia, que se inicia a 1 de janeiro de 2021. 

Linha da Beira Baixa «estará pronta para ser inaugurada até final deste ano»

Linha da Beira Baixa «estará pronta para ser inaugurada até final deste ano»

Respondendo às questões dos deputados sobre a execução do programa Ferrovia 2020, o Ministro das Infra-estruturas, Pedro Nuno Santos, vincou que a ferrovia se trata de «um instrumento promotor da coesão territorial». Exemplo disso, disse o governante durante audição no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2021, é o caso da Linha da Beira Baixa, «pronta para ser inaugurada» ainda em 2020.

Ferrovia com investimento «sem precedentes» almeja maior conectividade e «integração ibérica»

Ferrovia com investimento «sem precedentes» almeja maior conectividade e «integração ibérica»

Durante o seu discurso, que marcou o primeiro dia do 14º Congresso da ADFERSIT, Jorge Delgado, Secretário de Estado das Infra-estruturas, salientou que, em conjunto, o Plano de Resiliência e o Plano Nacional de Investimentos (PNI 2030) farão «face aos desafios e necessidades da próxima década». Serão alocados 42 mil milhões de euros ao sector dos Transportes e da Mobilidade, com a ferrovia a absorver um investimento «sem precedentes», vincou Jorge Delgado. A coesão territorial, a interoperabilidade e a «integração ibérica» são prioridades.

«A mobilidade é, cada vez mais, sinónimo de liberdade», salientou Jorge Delgado

«A mobilidade é, cada vez mais, sinónimo de liberdade», salientou Jorge Delgado

O arranque dos trabalhos do 14º Congresso da ADFERSIT contou com a intervenção do Secretário de Estado das Infra-estruturas, Jorge Delgado. Em representação do Executivo, Jorge Delgado deixou rasgados elogios ao contributo da associação para uma partilha de conhecimento mais efectiva no sector dos Transportes e deixou uma certeza sobre o tema central do evento: «A mobilidade é, cada vez mais, sinónimo de liberdade».


Filipe Costa (aicep Global Parques): «Ligações modais serão cada vez mais críticas»

Filipe Costa (aicep Global Parques): «Ligações modais serão cada vez mais críticas»

O painel ‘A interoperabilidade ibérica e europeia. O Corredor Atlântico’, realizada no primeiro dia do 14º Congresso da ADFERSIT, contou com a exposição de Filipe Costa, CEO da aicep Global Parques – o responsável apresentou a ferramenta Portugal Site Selection e explanou o papel da aicep na captação de novos investimentos em contexto industrial, logístico e de serviços. Em destaque esteve também a ZILS, a sua função vital no ecossistema de Sines (onde o porto é peça fundamental) e a necessidade futura de uma maior penetração no hinterland ibérico.

«Solução competitiva na ferrovia» passa por eliminar constrangimentos já bem identificados

«Solução competitiva na ferrovia» passa por eliminar constrangimentos já bem identificados

Carlos Vasconcelos foi um dos convidados do painel ‘A interoperabilidade ibérica e europeia. O Corredor Atlântico’, que integrou o primeiro dia do 14º Congresso da ADFERSIT. O administrador da Medway abordou as problemáticas da competitividade da ferrovia e quais as soluções para remediar, no imediato, o sector. Em debate esteve também a ligação Galiza-Sines em bitola europeia, que seria «uma excelente solução».

Plano Ferroviário: Executivo pretende ferrovia a ligar todas as capitais de distrito

Plano Ferroviário: Executivo pretende ferrovia a ligar todas as capitais de distrito

O Executivo tem a ambição estratégica de gizar, em 2021, o Plano Ferroviário Nacional – segundo consta na versão preliminar da proposta de Orçamento do Estado, tornada hoje pública, este plano terá como pressuposto central a ligação ferroviária entre todas as capitais de distrito. O plano deverá garantir ainda «as ligações transfronteiriças ibéricas e integração na rede transeuropeia de passageiros e mercadorias».