Aposta fluvial consolidará Porto de Lisboa «como porto multimodal», considera Ministra do Mar

Aposta fluvial consolidará Porto de Lisboa «como porto multimodal», considera Ministra do Mar

Para a Ministra do Mar a navegabilidade fluvial do Tejo é um «projecto essencial para garantir o desenvolvimento sustentável do Porto de Lisboa». As palavras, proferidas no passado dia 2 de Agosto, aquando da apresentação do estudo liderado por Faustino Gomes, deram enfoque à transferência modal que a APL busca, procurando, com a aposta fluvial, aliviar a pressão rodoviária nos acessos da capital e capitalizar o potencial do Tejo, assim maximizando a fluência logística e empresarial ao longo das suas margens.

Porto de Sines: Terminal Vasco da Gama poderá, no futuro, ter concessão de 60 anos

Porto de Sines: Terminal Vasco da Gama poderá, no futuro, ter concessão de 60 anos

Foi hoje publicado em Diário da República o decreto-lei que define as bases da concessão de exploração, em regime de serviço público, da nova infra-estrutura (incluindo o seu projecto e edificação) que reforçará a capacidade de movimentação de cargas do Porto de Sines: o Terminal Vasco da Gama. Entre as notas de destaque está a possibilidade de a futura concessão poder ir além dos 50 anos estipulados, até ao limite de 60 anos.

Estudo de Navegabilidade do Tejo sugere novo terminal de granéis sólidos em Castanheira do Ribatejo

Estudo de Navegabilidade do Tejo sugere novo terminal de granéis sólidos em Castanheira do Ribatejo

O Estudo de Navegabilidade do Tejo, apresentado na passada Sexta-feira (dia 2 de Agosto), integra a sugestão de construção de um novo terminal de mercadorias ao longo do rio, de modo a potenciar o transporte fluvial de cargas: uma aposta clara do Ministério do Mar. O documento infere que esse hipotético terminal de granéis sólidos teria maior valor estratégico se localizado em Castanheira do Ribatejo.

IP: 6,6% da rede ferroviária precisa de investimento imediato, 30,1% classificada como ‘Bom’

IP: 6,6% da rede ferroviária precisa de investimento imediato, 30,1% classificada como ‘Bom’

No passado dia 2 de Agosto, a Infra-estruturas de Portugal (IP) revelou publicamente os indicadores de desempenho do estado das infra-estruturas de 2018 nas redes rodoviária e ferroviária, apurados com base na actividade regular de inspecção e diagnóstico que a empresa executa às infra-estruturas que estão debaixo do chapéu da sua gestão, adiantou a agência Lusa. Estes indicadores, adiantou a IP, passarão a ser publicados anualmente.