Assinado no passado dia 11 de setembro o Pacto Setorial para a Ferrovia integrado nos Cluster de Competitividade e Internacionalização

Assinado no passado dia 11 de setembro o Pacto Setorial para a Ferrovia integrado nos Cluster de Competitividade e Internacionalização

A celebração deste Pacto Setorial reveste-se de grande relevância, pois significa, por um lado, o reconhecimento do papel do Cluster da Ferrovia e das entidades pertencentes à sua cadeia de valor na discussão do futuro da Ferrovia, nomeadamente Empresas, Associações e Universidades do Sistema Nacional de Investigação e Inovação e, por outro, o valor das suas ideias e contribuições aqui expressas e formalizadas.


Ministro das Infra-estruturas revela ambição de «ligar Lisboa e Porto à maior velocidade possível»

Ministro das Infra-estruturas revela ambição de «ligar Lisboa e Porto à maior velocidade possível»

O Ministro das Infra-estruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, concedeu, no passado dia 9 de Setembro, uma entrevista ao programa ‘Tudo é Economia’, da RTP3, e abordou um dos temas quentes da cena política portuguesa: o TGV, que voltou à ordem do dia pela boca de Rui Rio. O reparo do candidato do PSD até mereceu resposta por parte do Primeiro-Ministro, António Costa. Pedro Nuno Santos também não fugiu ao tema.

Foi consignada a empreitada de construção do troço ferroviário Freixo - Alandroal na Linha de Évora

Foi consignada a empreitada de construção do troço ferroviário Freixo - Alandroal na Linha de Évora

A nova Linha de Évora é composta por três troços: Évora Norte/Freixo, Freixo/Alandroal e Alandroal/Linha do Leste. A Linha terá uma extensão total de cerca de 100 quilómetros, 80 dos quais de construção nova em via única Eletrificada (25 kV-50 Hz) sobre plataforma para via dupla, balastrada com carril UIC60 e travessa de betão polivalente (preparada para receber a bitola europeia).

Obras do novo terminal da Plataforma Logística do Sudoeste Europeu aprovadas pelo Governo Espanhol

Obras do novo terminal da Plataforma Logística do Sudoeste Europeu aprovadas pelo Governo Espanhol

Para o Ministério do Desenvolvimento de Espanha, a ligação ferroviária à chamada Rede Ferroviária de Interesse Geral e à rede portuguesa permitirá «o transporte de mercadorias pelo corredor do sudoeste europeu, promovendo a libertação deste mercado e a integração de novos operadores ferroviários na Extremadura que aumentam as opções no nível logístico».

"Platooning"

"Platooning"

A Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA) solicitou à EU regulamentação para que o "platooning" seja uma realidade antes de 2023.

Transporte rodoviário com uma quota de 62,5% de toda a tonelagem da carga movimentada em 2018

Transporte rodoviário com uma quota de 62,5% de toda a tonelagem da carga movimentada em 2018

A AMT realizou o relatório ‘Tráfego Marítimo de Mercadorias no Contexto da Intermodalidade’, no qual se propôs a executar o «retrato actual do ecossistema marítimo-portuário, contextualizado pela caracterização dos fluxos de mercadorias movimentadas nos vários modos de transporte, no âmbito do comércio internacional».

Contentores: Pireu cresce 23,8%, enquanto o triunvirato espanhol (Valência, Algeciras e Barcelona) cresce 7,3%.

Contentores: Pireu cresce 23,8%, enquanto o triunvirato espanhol (Valência, Algeciras e Barcelona) cresce 7,3%.

O porto grego de Pireu, sob gestão chinesa (da COSCO), cresceu 23,8% face aos primeiros seis meses de 2018, saltando para a sexta posição do top-15. Entre as subidas estão, também, todos os portos espanhóis que integram a tabela: Valência, na quinta colocação (o porto espanhol melhor posicionado), cresceu 8,7%, ao passo que Algeciras (na sétima posição), cresceu 8,2%. O terceiro melhor porto de nuestros hermanos foi Barcelona (nono lugar), com uma subida homóloga de 5,1%.

Transhipment no Mediterrâneo: Sines, Valência e Tanger Med na corrida ao aumento de capacidade

Transhipment no Mediterrâneo: Sines, Valência e Tanger Med na corrida ao aumento de capacidade

Na sua recente análise ao tráfego de contentores dos portos que se situam na zona de influência geográfica do Estreito de Gibraltar, o especialista Theo Notteboom agregou dados sobre a evolução de cinco portos que dão hoje cartas no cerrado e competitivo jogo de liderança pelas cargas e, mais especificamente, pelo transhipment. Para o analista, a corrida ao aumento das quotas de mercado de cada porto (lote no qual se inclui Sines) é inegável, com vários investimentos previstos para que cada um dos portos materialize as suas ambições de crescimento sustentado.

FERROVIA: O REGRESSO AO FUTURO

FERROVIA: O REGRESSO AO FUTURO

Recuemos ao inicio do século XX. Os comboios constituíam, neste período, um meio de transporte revolucionário. As linhas de caminhos-de-ferro que rasgavam os países garantiam a ligação de forma rápida e confortável entre regiões distantes dentro de um mesmo território, espalhando o desenvolvimento económico e, em simultâneo, permitindo a construção simbólica de uma comunidade nacional. Vivia-se um período dourado do caminhos-de-ferro nos países mais desenvolvidos da Europa e da América.