FERROVIA: O REGRESSO AO FUTURO

FERROVIA: O REGRESSO AO FUTURO

Recuemos ao inicio do século XX. Os comboios constituíam, neste período, um meio de transporte revolucionário. As linhas de caminhos-de-ferro que rasgavam os países garantiam a ligação de forma rápida e confortável entre regiões distantes dentro de um mesmo território, espalhando o desenvolvimento económico e, em simultâneo, permitindo a construção simbólica de uma comunidade nacional. Vivia-se um período dourado do caminhos-de-ferro nos países mais desenvolvidos da Europa e da América.

O caos perdeu comboio, falhou o metro e não embarcou

O caos perdeu comboio, falhou o metro e não embarcou

Após dois meses de passes mais baratos, o Expresso foi ver como andam os transportes públicos em Lisboa e no Porto. Ouviu queixas mas correu tudo bem. Foi sorte?

A redução do preço dos passes, em vigor há dois meses, trouxe mais 143 mil passageiros à Área Metropolitana de Lisboa e mais 24 mil ao grande Porto. O Expresso foi ver o efeito deste aumento na circulação do metro, comboio, barco e autocarro, à procura do “caos nos transportes” que tem dominado o confronto político nas últimas semanas. Mas não o encontrou. Houve queixas, apertos e muitas pessoas de pé, mas - pelo menos para já - a poupança parece falar mais alto do que o desconforto e ameniza os protestos.