Lançamento do livro "A Ferrovia em Portugal - Passado, presente e futuro" da autoria de Francisco Furtado

Lançamento do livro "A Ferrovia em Portugal - Passado, presente e futuro" da autoria de Francisco Furtado

Este ensaio analisa e explica a evolução de mais de século e meio de existência do caminho de ferro português. Defende a ferrovia como alavanca de desenvolvimento económico, fundamental para setores estratégicos como os portos ou uma melhor organização do território, e o comboio como o único modo de transporte já largamente eletrificado, reduzindo a dependência dos combustíveis fósseis importados e as emissões poluentes. Por fim, expõe prioridades e diretrizes para maximizar o potencial da ferrovia no século XXI. Porque o comboio português pode e deve ir mais longe.
(extraído da contracapa do livro)

Ligação Sines-Grândola prioritária: projecto do PNI 2030 deverá ser antecipado para 2021-2025

Ligação Sines-Grândola prioritária: projecto do PNI 2030 deverá ser antecipado para 2021-2025

Esta linha, especializada no tráfego ferroviário de mercadorias, permite diminuir a distância entre o porto atlântico e o Centro e Norte de Portugal, bem como a ligação a Espanha, tendo ainda a vantagem de contornar o problema da orografia da serra de Santiago de Cacém (por onde passa a actual linha Sines – Ermidas) cortando significativamente os custos de tracção e permitindo um aumento do volume das cargas movimentadas.

UMA AVALIAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DO PNI 2030 – FERROVIA

UMA AVALIAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DO PNI 2030 – FERROVIA

A análise e avaliação dos programas dos investimentos ferroviários propostos no PNI 2030 foi realizada no âmbito do apoio de consultoria prestado ao Conselho Superior de Obras publicas (CSOP) e teve como principal objectivo clarificar e densificar a identificação e caracterização dos investimentos a realizar na rede ferroviária nacional (RFN) e aferir da sua consistência, robustez e impacto na economia, na mobilidade, no ambiente e na coesão territorial.

Ligação ferroviária "mais curta até Espanha" permitirá a Sines captar cargas "do interior de Espanha"

Ligação ferroviária "mais curta até Espanha" permitirá a Sines captar cargas "do interior de Espanha"

Ligação "mais rápida até Espanha" dará maior competitividade à Medway e a Sines.
"Estamos em Sines a carregar cargas que antes usavam o porto de Cádis, ou seja, estamos a retirar carga espanhola a um porto espanhol para trazer para um português. Ora reduzindo ainda mais a distância a Espanha ficamos ainda mais competitivos."

Infraestruturas de Portugal garante que a eletrificação da Linha do Minho estará concluída até final de 2020

Infraestruturas de Portugal garante que a eletrificação da Linha do Minho estará concluída até final de 2020

A IP veio há dias esclarecer que não existe “qualquer anulação ou alteração” da empreitada de eletrificação da Linha do Minho e ainda que com a finalização da 2ª fase da intervenção na Linha do Minho, o “início da circulação ferroviária, em modo elétrico, será possível nos primeiros meses de 2021, ficando apenas dependente dos operadores ferroviários”.

Região norte quer ligar-se à alta velocidade espanhola e articular a ferrovia com os portos de Leixões e Viana do Castelo e Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular pretende clarificação dos atrasos na eletrificação da linha do Minho

Região norte quer ligar-se à alta velocidade espanhola e articular a ferrovia com os portos de Leixões e Viana do Castelo e Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular pretende clarificação dos atrasos na eletrificação da linha do Minho

O Conselho Regional do Norte formulou uma estratégia global da região para atrair os próximos fundos comunitários.
No topo dos objetivos está a modernização da linha do Douro e da linha Porto-Vigo para ligar o Norte à alta velocidade espanhola.
Por outro lado, a organização Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular solicitou à Infraestruturas de Portugal “informação oficial” acerca das notícias de atrasos nas obras de eletrificação da linha do Minho.